Felipe Corrêa. “Bandeira Negra: rediscutindo o anarquismo” (PDF do livro)

BN

Felipe Corrêa. “Bandeira Negra: rediscutindo o anarquismo” (Prismas, 2015)

Neste livro de referência, Corrêa (re)discute teoricamente o anarquismo, a partir de um conjunto amplo de autores e episódios. Constatando a problemática teórica e histórica dos livros de referência do tema, ele realiza uma “volta aos princípios”, escrevendo um novo e inovador “O que é o Anarquismo”. Além de discutir criticamente a bibliografia vigente, ele conceitua o anarquismo por meio de um método mais adequado, baseado em anarquistas clássicos e contemporâneos dos cinco continentes, reelabora a discussão sobre as correntes, apontando os principais debates ocorridos entre os anarquistas, e reflete sobre o surgimento, a extensão e o impacto histórico do anarquismo. Trata-se de uma referência obrigatória para os estudos deste assunto. Para 2019, Corrêa prepara uma segunda edição impressa com alguns ajustes e correções.

* Baixe o PDF completo do livro aqui: Felipe Corrêa – Bandeira Negra PDF

 

SUMÁRIO

INTRODUÇÃO
ENTRE A CIÊNCIA E A POLÍTICA
MOTIVAÇÃO E CONTEXTO
ESTRUTURA E ARGUMENTOS

– CAPÍTULO 1 –
PROBLEMÁTICAS TEÓRICAS E HISTÓRICAS DOS ESTUDOS DE REFERÊNCIA DO ANARQUISMO
ESTUDOS TEÓRICOS E HISTÓRICOS DE REFERÊNCIA
A problemática metodológica apresentada por Eltzbacher
As definições de anarquismo e a estruturação dos estudos de referência
A problemática metodológica e conceitual dos estudos de referência
Fenômeno ahistórico
Análises etimológicas
Sinônimo de antiestatismo
Fenômeno do século XVIII
Utilização dos termos
Fenômeno do século XIX
Sentido positivo dos termos e auto-identificação
Antítese do marxismo
Incoerência e fim em 1939
Pequeno impacto popular e outros aspectos
Método historiográfico e escopo geográfico
BALANÇO DOS ESTUDOS DE REFERÊNCIA

– CAPÍTULO 2 –
ELEMENTOS TEÓRICO-METODOLÓGICOS
A NECESSIDADE DE UMA DEFINIÇÃO ADEQUADA
MÉTODO E AMPLITUDE DOS DADOS ANALISADOS
NOÇÕES DE TOTALIDADE E INTERDEPENDÊNCIA
Teoria, prática e história; pensamento e ação
Forma e conteúdo
Anarquismo, anarquistas e lutas sociais
Críticas e proposições
A Teoria da Interdependência das Esferas
FUNDAMENTOS TEÓRICO-METODOLÓGICOS

– CAPÍTULO 3 –
REDEFININDO O ANARQUISMO
DEFINIÇÃO DE ANARQUISMO
Categorias centrais e conceitos acessórios
Ideologia
Ideologia e teoria
Teoria e anarquismo: o caso da relação entre as esferas sociais
Estratégia
Força social
Poder
Participação: dominação e autogestão
Classes sociais
Interesse, consciência, luta de classes, mudança e transformação social
ANARQUISMO: CRITICA DA DOMINAÇÃO, DEFESA DA AUTOGESTÃO, ESTRATÉGIA FUNDAMENTAL
A crítica anarquista da dominação
Dominação econômica: exploração capitalista e pré-capitalista
Dominação política/jurídica/militar: o Estado
Dominação ideológica/cultural: religião, educação e mídia
Dominação de classe
Outros tipos de dominação: imperialismo, gênero e raça
Crítica à dominação
A defesa anarquista da autogestão
Autogestão econômica: socialização da propriedade
Autogestão política: autogoverno democrático
Autogestão e federalismo: economia e política
Cultura autogestionária
Poder autogestionário e autogestão generalizada
A estratégia do anarquismo
Sujeitos revolucionários: as classes dominadas
Estratégia de luta
Revolução social e autogestão
As lutas integradas nas três esferas
Lutas de gênero, de raça e antiimperialistas
PRINCÍPIOS POLÍTICO-IDEOLÓGICOS DO ANARQUISMO
Ética e valores
Crítica da dominação
Transformação social do sistema e do modelo de poder
Classes e luta de classes
Classismo e força social
Internacionalismo
Estratégia
Elementos estratégicos
Revolução social e violência
Defesa da autogestão
ANARQUISMO E ANARQUISTAS 

– CAPÍTULO 4 –
DEBATES RELEVANTES E CORRENTES DO ANARQUISMO
DEBATES RELEVANTES EM TORNO DA DEFESA DA AUTOGESTÃO
Mercado autogestionário ou planificação democrática
Distribuição: coletivismo ou comunismo
Política no local de moradia ou de trabalho
Os limites e possibilidades da cultura
Maioria e minorias
DEBATES RELEVANTES EM TORNO DA ESTRATÉGIA ANARQUISTA
Antiorganizacionistas e organizacionistas
As lutas de curto prazo: as reformas
Momento e contexto de utilização da violência
A organização específica anarquista
Maioria e minorias
AS CORRENTES ANARQUISTAS
Tentativas anteriores de estabelecer as correntes
As correntes anarquistas
Retomando os debates fundamentais
Anarquismo insurrecionalista e anarquismo de massas
Variações das correntes 

– CAPÍTULO 5 –
SURGIMENTO, EXTENSÃO E IMPACTO DO ANARQUISMO
CONTEXTO HISTÓRICO E SURGIMENTO
A Associação Internacional dos Trabalhadores (AIT)
A Aliança da Democracia Socialista (ADS)
Conformação do anarquismo entre 1868 e 1886
Trajetória posterior e prioridade nas organizações de massas
EXTENSÃO E IMPACTO
Presença geográfica global
Global versus Atlântico Norte: América Latina, África e Ásia
Presença histórica permanente: cinco ondas de 1868 ao presente
Grandes episódios antes e depois de 1939
Classes sociais mobilizadas na cidade e no campo
OUTRAS INICIATIVAS
Redes internacionais, educação popular e atentados
Grupos e organizações anarquistas
De 1950 em diante
CONCLUSÃO
TRÊS TESES
Primeira tese: Os problemas dos estudos de referência
Segunda tese: Abordagem teórico-metodológica
Terceira tese: Anarquismo
CRÍTICAS NECESSÁRIAS
ANARQUISMO HOJE

BIBLIOGRAFIA

 

* Baixe o PDF completo do livro aqui: Felipe Corrêa – Bandeira Negra PDF

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: